Enquanto somos crianças
Nossa imaginação vai além
Os sonhos nascem na mente
E existe na inocência imaginária
Agente até acha que pode tudo
Pular do alto do muro
E fazer de uma toalha nosso pára-quedas
E se cair e machucar o choro poderia
Até chegar mais nunca desistir de pular.

Enquanto adolescente o sonho
Parece uma eternidade
Os quinze anos que nunca chega
O pai e mãe que nunca deixa
Pegando no pé o tempo todo
E o adolescente louco pra ser livre
Leve e solto.

O que dizer da juventude
As responsabilidades batem a porta
O sonho do amor, da profissão
Do casamento, da realização
Parecem nunca chegar, pois, a espera
Maltrata o coração
Uma gangorra de emoção
Um dia sorriso largo feliz demais
No outro o olhar triste anuncia o caos.
Tudo sem cor e sem beleza
Mais é só passar um tempo que tudo
Fica numa boa pode ter certeza.

A maturidade vem chegando
E com ela quase todos os sonhos
Quase, porque alguns nem sonha mais
Esqueceu que pode até não ter acontecido ainda
Mais não é tarde pra que se realize.
O tempo vai passando e o desistir
É a palavra que vai só chegando
E aí é mais fácil deixar de sonhar
Porque não tem mais tempo e acaba tudo
Até o acreditar que pode outra vez sonhar.

Gerar sonhos alimenta a alma
Faz nunca esquecer que aquele
Que crer pode todas as coisas
Faz o coração e a mente lembrar
Que sonhar é bom
E é viver
E que quem não gera sonhos
E não luta pra realizar
Esquece do Deus todo- poderoso
Que faz o impossível acontecer.
Basta somente você crer
Basta sonhar
Pois Deus estará sempre pronto pra realizar.
É só você crer, sonhar e clamar.
E verá o teu sonho chegar.

Elisângela Reis Gerando sonhos no coração.