O Impostor 3 – Final

Jaqueline, 29 anos, casada há 5 anos, advogada, membro da igreja que não importa o nome há 10 anos. Apenas mais uma jovem bonita, bem sucedida e feliz que podemos conhecer. Ela ilustrará o capítulo final da série O impostor.

Jaqueline é uma bela mulher, que, ainda jovem, consegue um ótimo emprego no Ministério Público. Tem um bom marido e um filho de 2 ano, Pedro, que fica a maior parte do tempo com a babá, já que sua mãe trabalha o dia todo e seu pai, que é médico, quase não tem tempo para ficar em casa. Ela tem a vida que todos gostariam de ter: Um bom casamento, um filho lindo, um bom emprego, uma ótima casa. Porém, existia algo que, para Jaqueline, ainda não estava bom: Seu Ministério na Igreja.

O Ministério do qual Jaqueline fazia parte era o de Ação Social, mas, para ela, ficar ajudando as pessoas não era tão legal, porque ela não era muito vista, então, sempre achava deveria ser professora da escola dominical e parte do Ministério de Louvor. Os líderes destas áreas não a convidaram para tais áreas devido à falta de tempo de Jaqueline, mas ela não entendia isso.

Certo sábado, Jaqueline havia sido escalada para ir ao abrigo da cidade, onde a igreja sempre contribuía com doações de alimentos e roupas. Naquela manhã, ela recebe a ligação de um irmão dizendo que a pegaria em casa para irem juntos, mas Jaqueline dispensa a carona e diz que vai em seu carro. Ela não tinha nenhuma vontade de fazer aquilo, e sai murmurando pelo caminho em direção ao abrigo, tendo em seus pensamentos frases do tipo:

– Não deveria estar fazendo isso, eles nem me pagam!

– Em pleno sábado eu não posso descansar!

– Aqueles mortos-de-fome devem estar mal cheirosos e eu vou ter que fingir que estão ótimos.

 O coração dela estava bem longe daquilo que estava indo fazer. Chegando ao abrigo, é recebida por várias crianças. Ela sorri, com um sorriso bem amarelo, daqueles que por fora não se percebe, mas por dentro dizem que querem distância deles. Jaqueline abre o porta-malas, retira algumas sacolas de roupas e vai em direção aos outros membros da igreja. Chegando lá é recebida com um sorriso por Carlos (o irmão que oferecera carona para Jaqueline), ele agradece a presença dela, que retribui com o mesmo sorriso amarelo anteriormente citado.

Os irmãos passam a manhã no abrigo, mas Jaqueline está muito aborrecida, ela, definitivamente não nascera para aquilo, ela nascera para servir a mesa da Ceia, para cantar no Ministério de Louvor ou até mesmo atuar na Secretaria da Igreja, onde havia pelo menos um ar condicionado, tudo, menos servir àquelas pessoas mal cheirosas, desempregadas e desabrigadas.

Ela vai para casa, pois não vê a hora de tomar um banho para tirar de seu corpo aquele cheiro dos desabrigados que estava impregnado em seu corpo. Passa a tarde toda deitada, assistindo TV. 

A noite chega e Jaqueline, seu marido e seu filho saem para jantar em um restaurante finíssimo da cidade. Chegando lá, sentam-se, fazem o pedido e, ao levantar o olhar para a entrada do restaurante, Jaqueline avista Carlos e sua esposa. Ela tenta se esconder desviando o olhar, mas Carlos os avista e vai em sua direção. Todos se cumprimentam e o marido de Jaqueline convida os irmãos para jantarem juntos. Eles prontamente aceitam, o que deixa Jaqueline super irritada, porém, não perde a pose. Continua sorrindo e sendo educada. Eles começar a falar sobre os dízimos e Jaqueline comenta que estava dando muito dinheiro para a igreja, que já havia dado 4 ofertas, além de seu dízimo, mas que não vira para onde o dinheiro ira. Carlos sorri e apenas diz que os membros podem ter acesso à contabilidade da igreja, mas que Deus não quer nosso dinheiro, ele quer nossos corações. O jantar chega ao fim e eles se despedem. No caminho de casa Jaqueline reclama com o marido porque ele os chamou para sentar junto a eles, ele explica que gosta muito dos irmãos e que aprendera que deveria haver comunhão entre a Igreja de Cristo. Ela murmura algumas palavras e se cala até chegar em casa. Eles se deitam e dormem.

No domingo, pela manhã, eles se levantam, se aprontam e vão para a igreja. Lá, Jaqueline age como se tudo estivesse às mil maravilhas, afinal, ela estava com uma roupa linda, com sua família e ela havia feito sua obrigação para com Deus no dia anterior. Durante o louvor, canta com toda a sua alma canções do tipo:

“Tudo entregarei, Tudo entregarei, sim por Ti, Jesus bendito, Tudo deixarei”

“Não tenho outro bem além de Ti, Não tenho outro bem além de Ti…”

“Só Tua graça me basta e Tua presença é o meu prazer”.

 

 

Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;
Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência;
1 Timóteo 4:1-2

Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.
Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita;
Para que a tua esmola seja dada em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente.
E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.
Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.
E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos
Mateus 6:2-7

Hipocrisia: Manifestação de fingidas virtudes, sentimentos bons, devoção religiosa, compaixão etc.; fingimento, falsidade. (Dicionário Michaelis)

Impostor: 1 Que, ou o que tem impostura. 2Que, ou o que abusa da credulidade ou ignorância dos outros; mentiroso, falsário. 3 Que, ou o que propaga falsa crença religiosa.

Como tenho lido em alguns blogs, “Qualquer semelhança com sua vida não é mera coincidência”

                É FATO que nossas igrejas estão cheia de impostores, é fato que isso sempre acontecerá. Jesus disse que e Ele irá separar o joio e o trigo (Mateus 13:24-30). Mas, eu pergunto: E quanto a você, tem sido um impostor? Essa pergunta só você mesmo pode responder e não é para mim. Deus lhe pergunta isso. Não seja parte desse joio, não seja mais um dentro das igrejas a fingir ser um cristão. Seja um servo de Deus, seja fiel e realista para com Ele, seja aquele que não busca seus próprios interesses. Nunca seremos perfeitos, porém, Deus não busca impostores e sim, Adoradores (João 4:24).

Pense nisso!  Deus nos abençoe e nos ajude a não sermos impostores.

Lucas Ferreira (lucas_scraft@hotmail.com

Com amor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s