Há uns dias atrás eu estava lendo um texto da bíblia com o Leandro bastante conhecido, I Coríntios 13, que fala sobre amor. E uma parte do texto chamou muito a atenção e me fez pensar e refletir: como temos amado? Leia:

“Quem ama é paciente e bondoso. Quem ama não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso. Quem ama não é grosseiro nem egoísta; não fica irritado, nem guarda mágoas. Quem ama não fica alegre quando alguém faz uma coisa errada, mas se alegra quando alguém faz o que é certo. Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé esperança e paciência.”

UAUU… E eu comecei a perceber que o amor com que amamos aqui nesta terra, seja pelo nosso esposo (a), nossos amigos, pastor, pais, família e nossos irmãos na igreja, não chega muitas vezes nem perto do que a bíblia nos diz ser o amor…. Levei uma “palmada” com esta palavra, confesso. E amo quando Deus me trata dessa forma tão profunda. Estou casada há um mês e até então, para mim, o amor que sinto pelo meu esposo era a perfeição, pois amá-lo me traz muita satisfação e felicidade. Entretanto o amor é algo muito, muito mais profundo e eu tenho que amar como está escrito aí em cima, eu preciso aperfeiçoar meu amor… Como meu amor é imperfeito! Não apenas pelo meu esposo, mas por todos que eu julgo “amar”.

Amamos mas nunca deixamos de cobrar, muitas vezes a bondade a paciência estão atrelados ao nosso amor, somos grosseiros, egoístas, ficamos irritados, e guardamos muitas, muitas mágoas… (ah meu Deus!) como guardamos mágoas! Alegramos-nos às vezes com a injustiça que julgamos ser justa e esquecemos a verdade de Deus… Desistimos tão facilmente daqueles que não nos amam e nem suportamos não ser aceitos; muito menos damos amor a quem não nos ama.

Tudo exatamente o contrário do que diz o texto acima… Leia-o novamente e tire suas próprias conclusões…..

E lutando contra minha natureza falha e vendo como eu sou imperfeita no “amar”, Deus, que nos ensina, mas também nos consola, fez continuar lendo o mesmo texto e me impactou mais uma vez com a verdade a palavra, olha o que diz:

“O amor é eterno (…) nossos dons de conhecimento e nossas mensagens espirituais são imperfeitos. Mas quando vier o que é perfeito, então o que é imperfeito desaparecerá. (…) O que agora vemos é como uma imagem imperfeita num espelho embaçado, mas depois veremos face a face. Agora o meu conhecimento é imperfeito, mas depois conhecerei perfeitamente, assim como sou conhecido por Deus.”

Só pude dar um “GLORIA A DEUS” nesse momento e perceber que meu maravilhoso e tremendo DEUS não deixa nada fora do seu alcance… E um dia, o amor imperfeito que vivo aqui se transformará na perfeição, pois o verei face a face, e ELE É O AMOR.

Um beijo com amor imperfeito, mas que se eternizará na perfeição do amor de Deus!

Lílian Dornelas – buscando a cada dia um amor mais parecido com os ensinamento de I Co.13

Amo vocês…