Já ouvi tantas vezes esta história que sei contar de cabeça. Mas, ontem reli este texto e refleti numa associação em minha vida e que pode nos servir pra pensarmos hoje.  Leia:

Assim Deus criou os seres humanos; ele os criou parecidos com Deus. Ele os criou homem e mulher e os abençoou, dizendo: – Tenham muitos e muitos filhos; espalhem-se por toda a terra e a dominem. E tenham poder sobre os peixes do mar, sobre as aves que voam no ar e sobre os animais que se arrastam pelo chão.

E Deus viu que tudo o que havia feito era muito bom.

Gn. 1: 27-28 e 31a

Podemos observar que Deus, em todo o Seu amor e grandeza, fez o homem e a mulher e viu que tudo que havia feito era bom. Podemos observar, também, que Deus dá completa autonomia e autoridade para o homem e para que ele domine sobre a Terra.

Então o SENHOR Deus pôs o homem no jardim do Éden, para cuidar dele e nele fazer plantações. E o SENHOR deu ao homem a seguinte ordem: – Você pode comer as frutas de qualquer árvore do jardim, menos da árvore que dá o conhecimento do bem e do mal. Não coma a fruta dessa árvore; pois, no dia em que você a comer, certamente morrerá.

Gn. 2:16-17

Porém vale-nos lembrar que Deus ofereceu todo o Éden para Adão, mas havia uma árvore naquele lugar que era especial, a árvore do conhecimento e Adão poderia comer de todos os frutos MENOS aquele. Era, à primeira vista, algo simples, porque havia tantas opções, não seria nenhum problema ignorar apenas uma árvore.

Então Deus cria a mulher, feita da costela de Adão e a Palavra diz que eles ficavam nus e não tinham vergonha (Gn.2:25).

A cobra era o animal mais esperto que o SENHOR Deus havia feito. Ela perguntou à mulher: – É verdade que Deus mandou que vocês não comessem as frutas de nenhuma árvore do jardim?

A mulher respondeu: – Podemos comer as frutas de qualquer árvore,  menos a fruta da árvore que fica no meio do jardim. Deus nos disse que não devemos comer dessa fruta, nem tocar nela. Se fizermos isso, morreremos.

Mas a cobra afirmou: – Vocês não morrerão coisa nenhuma!

 Deus disse isso porque sabe que, quando vocês comerem a fruta dessa árvore, os seus olhos se abrirão, e vocês serão como Deus, conhecendo o bem e o mal.

A mulher viu que a árvore era bonita e que as suas frutas eram boas de se comer. E ela pensou como seria bom ter entendimento. Aí apanhou uma fruta e comeu; e deu ao seu marido, e ele também comeu.

Nesse momento os olhos dos dois se abriram, e eles perceberam que estavam nus. Então costuraram umas folhas de figueira para usar como tangas.

Gn. 3:1-7

O que mais me chama atenção neste texto é que a serpente diz pra Eva que esta árvore não traria morte, mas os faria como Deus. Isso causou um tipo de vontade nela em ser Deus, então ela comeu o fruto. Quando Deus questionou sobre o porquê eles haviam feito aquilo, a resposta de Eva foi a seguinte: – A cobra me enganou, e eu comi. (Gn 3:13). Depois nos diz a Palavra que Deus castigou toda a humanidade por causa da desobediência dos dois.

Nestes acontecimentos podemos tirar muitas lições, mas quero me focar em algumas coisas nas quais eu refleti:

Adão e Eva tinham tudo o que precisavam

É claro no texto que eles tinham tudo que precisavam, Deus havia dado autoridade e autonomia para que eles governassem sobre a Terra, mas não parecia ser suficiente para eles. Não vê nenhuma semelhança com a atualidade? Eu sim. Nós, seres humanos, nunca estamos satisfeitos com aquilo que temos, nunca estamos satisfeito com aquilo que Deus tem dado a nós. Reclamamos da nossa casa, da nossa comida, do nosso emprego, do nosso salário e por aí vai. Precisamos entender que Deus nos dá daquilo que necessitamos (Sl. 37:25, Sl. 127, Rm. 8:28, Mt.6:25-34).

Deus deu tudo o que precisavam, mas havia uma regra

Deus supriu todas as necessidades deles, mas pediu que aquela árvore não fosse tocada. Era a regra de Deus e podemos ver que nossa sociedade, até hoje, vive através de leis que devem ser cumpridas. Eu costumo dizer que o padrão de Deus não muda de acordo com os nossos interesses. É muito fácil adaptar o Evangelho, as renúncias, a obediência àquilo que nos deixa mais à vontade, mas não é assim que funciona. Aquilo que Deus pede para que sejamos deve ser cumprido, porém, Ele não nos obriga nada, nós é que escolhemos agradá-Lo.

A Culpa é da serpente!

Finalmente vamos ao título desta mensagem. Quando Deus perguntou ao homem por que ele havia comido o fruto, ele respondeu que a mulher o havia dado e quando Deus perguntou o mesmo para a mulher, ela disse que a culpa era da serpente que a havia enganado.

 A tendência que temos é de sempre apontar para o outro, ou para os fatores, ou para a história e muitas outras coisas mais, para justificar aquilo que fazemos, o nosso pecado. Eva também fez isso. Era muito mais fácil culpar a serpente do que assumir o seu erro. Quantos de nós não somos assim, heim? A Palavra nos diz que o diabo anda em nosso derredor e diz também que ele é um mentiroso e acusador, então eu parei para pensar a respeito disso: até quando vamos viver culpando alguém ou o diabo por aquilo que nós estamos escolhendo? Precisamos entender uma coisa: O diabo sempre vai tentar nos persuadir, mentir pra nós, nos acusar, nos estimular a pecar, mas essa escolha é nossa, dar ouvidos ou não ao que ele diz. A quem você tem culpado pelos seus pecados? Temos que abrir nossos olhos e ouvir ao Espírito Santo, é Ele que nos dá o escape nas tentações, é Ele que nos convence do pecado, juízo e justiça. O capeta, só sabe apontar pra nós e nós, muitas vezes, só sabemos apontar pra ele.

            Olhe pra você hoje e decida mudar! A serpente SEMPRE vai estar nos tentando, mas não fazer o que ele diz cabe a nós. Ao invés de ficar dizendo que a culpa é do fulano, do capeta, do pastor e etc., diga ao Senhor: – A culpa é minha, me perdoe, eu quero mudar. Ele sim é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.

Think about it!

E não se esqueça: Já falou com seu amigo ES hoje? Aproveite o privilégio!

Com amor,

Lucas Ferreira